Vamos conversar sobre Terapia Ocupacional?

Vamos conversar sobre Terapia Ocupacional?

Nesse post vamos abordar a profissão da Terapia Ocupacional que faz parte dos serviços oferecidos pela ABA Fora da Mesinha e hoje vamos contar um pouco mais sobre a profissão de um modo geral. 

Origem da profissão no mundo

A Terapia Ocupacional, ou TO como é também chamada, é uma profissão que surgiu nos Estados Unidos no período entre as duas Guerras Mundiais. O marco histórico se deu com a criação do que hoje conhecemos como AOTA (Associação Americana de Terapia Ocupacional) em 1917. Nesse contexto inicial, o trabalho dos terapeutas ocupacionais era voltado para a Reabilitação, considerando que a ocupação/atividade humana poderia influenciar positivamente a recuperação e a saúde das pessoas em tratamento. 

Anos depois, em 1951 foi criada a Federação Mundial de Terapeutas Ocupacionais (World Federation of Occupational Therapists – WFOT) que representa os terapeutas ocupacionais do mundo todo, definindo parâmetros para nossa prática até hoje.

A TO no Brasil

No Brasil, a TO foi reconhecida oficialmente em 1969. Aqui a profissão foi originalmente voltada ao tratamento dos doentes mentais (Psiquiatria) e das pessoas com deficiências (Reabilitação Física).  

Atualmente, os terapeutas ocupacionais estão inseridos tanto em serviços públicos como privados, expandindo cada vez mais sua prática no país através da criação de cursos de graduação em várias regiões.

Mas, afinal o que é Terapia Ocupacional?

Ao longo do tempo, com a expansão da profissão pelo mundo, a TO que nasceu para atender demandas do campo da saúde, ampliou sua atuação para os campos do social e da educação. 

O objeto de estudo e de intervenção da Terapia Ocupacional é a ocupação humana. Ou seja, todos nós temos uma rotina de atividades que organizam nossa vida e nos garante um desempenho satisfatório nos diferentes âmbitos (pessoal, familiar, social e profissional). 

Quando temos alguma dificuldade que nos impeça de manter um desempenho ocupacional funcional, um TO poderá auxiliar nesse processo de (re) inserção, participação social e autonomia. 

Portanto, o terapeuta ocupacional tem como objetivo geral melhorar as diferentes habilidades (físicas, sensoriais, emocionais e sociais) das pessoas diante dos desafios diários para que elas possam realizar as atividades que desejam, necessitam ou que são esperadas por seu grupo social.

Essas atividades podem ser agrupadas da seguinte forma:

  • Atividades de Vida Diária (AVDs): alimentação, vestuário, higiene pessoal, locomoção e comunicação ;
  • Atividades Instrumentais de Vida Diária (AIVDs): realizar tarefas domésticas, preparar refeições, fazer compras, cuidar das finanças, entre outras ;
  • Atividades de trabalho/estudo e
  • Atividades de lazer.

Como é a intervenção da TO?

Algumas condições, temporárias ou permanentes, tais como acidentes, doenças, deficiências, síndromes podem dificultar a realização dessas atividades no dia a dia e a interação e participação social. E aí que um terapeuta ocupacional pode auxiliar nesse processo de reorganização da rotina e favorecer o melhor desempenho ocupacional para as pessoas.

Para isso, o terapeuta ocupacional segue um processo com as seguintes etapas:

  1. Entrevista inicial;
  2. Avaliação;
  3. Diagnóstico terapêutico ocupacional;
  4. Definição de objetivos;
  5. Escolha dos recursos a serem utilizados;
  6. Reavaliações periódicas e
  7. Alta. 

Independentemente da área de atuação o profissional deve realizar esse processo, mesmo que usando referenciais teóricos e abordagens diferentes.

Na escolha dos recursos, é realizada a “análise da atividade” que é um procedimento específico e essencial da TO que, em conjunto com o raciocínio clínico, garantirá que cada intervenção será individualizada, respeitando as características, desafios e potencialidades de cada pessoa atendida.

Portanto, Terapia Ocupacional não é, como infelizmente ainda é vista, como uma profissão “que passa o tempo”, “que só brinca”, “que ensina fazer artesanato”, entre outros. 

É uma profissão ainda desconhecida por muitos, mas que ao longo dos últimos cem anos cresceu embasada em um arcabouço teórico e em uma prática de grande relevância social. 

Se você quiser conhecer mais sobre a profissão, onde podemos trabalhar, quem podemos atender, nossas especialidades, acompanhe aqui os nossos próximos posts para saber mais.

Sem Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.